quarta-feira, 18 de abril de 2012

Tive cólica Renal no 22º dia de Operada...Será que tem Relação com a Minha Cirurgia??

        Genteeeeee....quem já teve uma cólica Renal sabe do que vou falar!!! Meu Deus é uma Dorrrrrr insuportável, algo inexplicável.... E ela não passa assim fácil, fácil... Para Vocês terem uma ideia, tive cólica renal no vigésimo segundo dia de operada, logo que percebi que aquela dorzinha que começa como um incomodo era cólica de rim....Corri para o PA da Unimed, quando cheguei lá ( o que ñ foi mais que 15 minutos) eu já estava com a dor no estágio de ñ aguentar mais, a gente se contorce todo de dor, e não há o que faça passar. Direto para o soro para ser medicada ....e ai começou a saga dos remédios. Primeiro Profenid, Depois Morfina, Depois Dramin e Tramal. E acreditem ainda sai de lá com dor, claro a cólica passou, mas a dor continuava. 
         O médico me explicou que quando existe uma pedra no rim e ela se desloca (ou por esforço ou algum movimento) ai aparece a cólica, a qual é o rim tentando expulsar aquele corpo estranho, e com isso o rim se dilata no movimento de expulsão....Logo que somos medicados depois de um tempo as cólicas sessam, mas a dor que fica é bastante desagradável, parece que levamos um socooo bem dado. E esta dor passa um dia depois +- com o restabelecimento do rim. Dizemmm que que faz a cirurgia bariátrica tende a ter cálculos renais com mais facilidade. Então fui a pesquisa né meu povooo....e aqui vou postar uma matéria que encontrei da Folha Online, que explica exatamente isso que estamos falando aqui. Beijosss e Não esqueçam...         

 SEMPRE SE HIDRATEM !!!


O cálculo renal, ou pedra nos rins, é uma massa dura formada por cristais que se separam da urina e se unem para formar pedras. Sob condições normais, a urina contém substâncias que previnem a formação dos cristais. Entretanto, esses inibidores podem se tornar ineficientes causando a formação dos cálculos.

O cálculo renal, urolitíase, calculose urinária ou nefrolitíase, conhecido popularmente como pedra nos rins, é um quadro agudo que se instala mais nos homens do que nas mulheres e provoca dor inesquecível. Os livros antigos de medicina diziam que é a dor mais próxima da de um parto que os homens podiam sentir. 

O organismo tende a formar pedras nos rins, quando de repente desenvolve uma condição metabólica em que se torna incapaz de manter normalizada a função urinária e permite que resíduos cristalinos se juntem formando um depósito organizado de se sais minerais. 

Estes depósitos começam bem pequenos e vão crescendo, tornando-se uma estrutura cristalina que conhecemos como cálculo renal.

Quando uma pedra é formada no rim, diferentes tipos de situações podem ser ocasionados. É possível que as pedras permaneçam no local de origem durante muito tempo (meses ou anos) sem causar nenhuma dor ou problemas aparentes. 

As pedras nos rins também podem se desprender e descer através da uretra (desde os rins até a bexiga), retendo a passagem da urina e causando dor intensa (cólica renal). Pode acontecer ainda o crescimento do cálculo renal levando a obstrução do fluxo urinário. 

Quando a obstrução ocorre, pode surgir uma dor súbita na região lombar (onde se localiza o rim afetado) de forte intensidade, muitas vezes acompanhada de náuseas e vômitos que levam a pessoa a procurar um pronto socorro. 

Os cálculos renais podem ainda serem expelidos naturalmente junto com a urina, sem que sejam percebidos ou sentidos. Finalmente, as pedras nos rins podem causar infecções urinárias e serem descobertas apenas pelas manifestações destas infecções.

Reduzir estômago aumenta risco de cálculo renal???

      Pessoas que fazem cirurgia de redução de estômago possuem quase duas vezes mais risco de ter pedra nos rins, revelam novos estudos nas áreas de endocrinologia e de urologia.
    Um dos trabalhos, com 9.278 pessoas, foi publicado no "Journal of Urology". Durante cinco anos, pesquisadores da Johns Hopkins University avaliaram 4.639 pacientes que fizeram a cirurgia e compararam com número idêntico de obesos que não se submeteram à redução de estômago.
    Eles observaram que 7,65% daqueles que fizeram a cirurgia foram diagnosticados com pedra nos rins, enquanto apenas 4,63% das pessoas do grupo de controle tiveram o problema.
      Segundo o urologista José Carlos de Almeida, presidente da Sociedade Brasileira de Urologia, o aparecimento de cálculos renais foi discutido no último congresso americano de urologia, pois a cirurgia bariátrica passou a apresentar problemas que antes não eram conhecidos pelos especialistas.

"Esse estudo trouxe à tona uma informação que não existia de forma clara. Percebíamos que havia um aumento no número de casos, mas não tínhamos como afirmar que existia essa relação", diz.

      De acordo com Almeida, a formação das pedras acontece porque a cirurgia de redução do estômago altera o metabolismo e aumenta o nível de oxalato no organismo. O oxalato é um elemento importante na formação dos cálculos renais -cerca de 90% das pedras são formadas por ele.
     Além disso, Almeida diz que as cirurgias bariátricas também diminuem a absorção de magnésio e de citrato -duas substâncias que ajudam no processo de diluição do oxalato. "Todas as pessoas têm cristais de cálcio na urina. Se elas não tiverem magnésio e citrato em quantidade suficiente, elas poderão formar cálculos", avalia.
     Thomaz Szegö, presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica, diz que a possibilidade de formação de cálculos é um dos principais incentivos para que os pacientes se mantenham hidratados. "Durante a perda intensa de peso, o metabolismo se altera. Se o paciente consegue manter o fluxo renal adequado (bebendo bastante água), é possível prevenir o aparecimento das pedras."


Espero que tenham gostado do post de hoje, achei bem esclarecedor, pelo menos para mim que já sofri desta terrível dor. Beijosssss Gi



4 comentários:

  1. Respostas
    1. É verdade Isac, eu sempre achei q tava me hidratando bem...mas ai parei para perceber eu tomava 2 garrafinhas de 600ml por dia ...era muito pouco...No mínimo hj tomo umas 3.

      Excluir
  2. Amiga, não sei se o calculo tem relação com a cirurgia, vc precisa ir ao seu médico e conversar com ele, mas enquanto isso cuide-se beba muita água, no mínimo 2 litros por dia

    Bjus, sucesso!!!

    ResponderExcluir
  3. oi querida,também tive a crise renal com 20 dias de operada...é terrível mesmo.adorei ter te achado e seu blog é bem legal....vou te seguir!
    me segue em:
    gastroplastia e nova vida:
    2012embuscadeumequilibrio.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Obrigadoo por comentar